Pages

segunda-feira, novembro 08, 2010

Menino mimado


 Que os machistas vão plantar batatas com este post, mas às vezes é vergonhoso constatar o  papel masculino na sociedade, sobretudo no seio familiar.

Como homem não posso negar a situação desequilibrante que a "raça" masculina encontra-se e define seu domínio sobre as valorosas mulheres.

Estava fazendo a minha caminhada em um parque e na mesma velocidade que a minha, vinham duas amigas perto de seus 60 anos. Não pude deixar de ouvir a conversa delas, que comentavam que haviam "se livrado de seus maridos" pelos caminhos da separação. O verbo era esse mesmo: "livrar". Alegação delas (e resumo meu): os ex-caras metades eram a pura nata do típico folgadão machista.

Não quis ouvir mais porque além de eu não ser um bisbilhoteiro da vida alheia, me envorgonhei de ser homem e ter que admitir que há uma "escravidão" instalada em muitas relações conjugais.

Há exceções, há homens bons, companheiros de verdade, que partilham e dividem a dura tarefa de fazer uma família funcionar. Não acredito que eu me encaixe no modelo machista, tampouco sou tão "bom garoto" assim.

Minha querida mãe fez com que todos os seus filhos (homens e mulheres) fizessem os serviços de casa: lavar, passar, encerar, dobrar, arrumar, limpar e cuidar de crianças (meus irmãos caçulas). Eu me sentia humilhado toda vez que algum amiguinho passava em frente de casa e caçoava de mim. Mas, o tempo me ensinou que a minha mãe preparava a mim e aos meus irmãos para a vida.

Todas as tarefas domiciliares eu faço sem dificuldade. Cuidar e criar de minha filha não tive problemas. Cozinhar eu adoro. E assim mesmo, deixo, como qualquer homem, as tarefas "pesadas" para a companheira. Quando me pego, ela fez e eu nem me importei.

Almoços dominicais é a prova do que estou tentando expressar: acabado o almoço (que na maioria das vezes já foi preparado pelas mulheres) a louça "sobra" para as mulheres porque o homem vai tirar o seu cochilo de "rei". Exceto quando a mulherada se "rebela" e faz os marmanjões lavar a louça (que é tão porcamente feita que as mulheres desistem e assumem a limpeza).

Não vou culpar só os homens por isso, porque está cheio de mães que mimam seus queridinhos filhinhos poupando-os de trabalhos domésticos, transformando-os em futuros opressores de mulheres.

Casamento para muitas mulheres levam-nas diretamente para o "tanque" de roupas do abençoado e almejado lar e lá elas passam a vida toda e muitas vezes só percebem a liberdade quando o casamento se foi, seja por um divórcio seja pela viuvez.

Mulheres não se entristeçam com este panorama, porque felizmente não está tudo perdido. Vocês tem fibra e estão mudando, aos poucos, essa realidade. Muitos homens já perceberam que se não reciclarem seus "dotes" familiares, estão fora do jogo. Não criem seus filhos para serem machistas (inclusive as filhas).

3 comentários:

Fatima disse...

Sempre quando alguma amiga se queixa do marido sobre este tema tratado por vc sempre ressalto a necessidade de criar os filhos de forma diferente pq quem faz o filho machista é a mãe.
Quase nunca elas concordam comigo.
Bjs.

Cler .**.**.**.**.** disse...

Tenho uma amiga que sempre diz: Ruim com eles, pior sem eles (((hahahhaha)))
Nós mães, que educamos nossos filhos, esse quadro tá mudando...
mudando para melhor!
um gde abraço

Glaucinha disse...

Olha...como futura mamãe de menino, eu penso muito nisto! E meu filho vai ter sim as tarefas da casa (até porque eu nao tenho vocação para Amélia). E como eu digo para meu marido: "Voce não está me ajudando ao limpar a sujeira da casa...afinal o serviço da casa é de nós dois! Você estaria ME AJUDANDO se o serviço fosse meu!"... não é verdade? rsrs
abraço

Blog Widget by LinkWithin