Pages

quarta-feira, julho 01, 2009

Legislar para a minoria

A maior cidade brasileira, São Paulo, registra diariamente o caos no transporte coletivo. Um verdadeiro desrespeito a 6 milhões de usuários.


As linhas de ônibus municipais e as linhas de metrô são exemplo da má administração pública neste país.




Obras públicas para atender à demanda nunca saem do papel. O dinheiro "some", neste país da corrupção.
Estações de trem e metrô super lotadas. Pontos de ônibus lotados. Ônibus lotados.

Tentem utilizar a linha Leste-Oeste do metrô no horário do "rush". São 9 usuários por metro quadrado, quando o aceitável é até 6 usuários por m2. Vão se sentir na Índia superpopulosa... S





Como meio de contornar este deficiente transporte público, muitos paulistas e paulistanos, adotaram o uso de ônibus "especiais" (aqueles para longas viagens), conhecidos como "fretados".



São, na sua maioria, confortáveis e proporcionam certo descanso para seus usuários que, enfrentam os congestionamentos diários sentadinhos.








Alguns possuem tv a bordo, banheiros (casas de banho), frigobar e música ambiente. Com poltronas reclináveis e confortáveis, é a solução para mais de 50 mil usuários/dia.


Evidentemente que existem abusos por parte de muitos motoristas destes fretados, além da falta de manutenção de alguns ônibus. E para isso, exigível é uma regulamentação.



Mas, agora, para ajudar com este caos, o então prefeito Gilberto Kassab (DEM) acaba lançar a regulamentação para o transporte dos "fretados".

A regulamentação simplesmete proibiu, praticamente, todos os 650 fretados de circular na cidade de São Paulo.

Segundo o sr. prefeito, o transporte público comum, que atende 6 milhões de usuários/dia, poderá atender mais os 50 e tantos mil novos usuários! Ele diz que está contribuindo com o "Projeto Cidade Limpa" que procurará diminuir ao máximo com as poluições (atmosférica, sonora e visual).


A regulamentação criou uma "zona de restrição" e dentro dela só poderão circular fretamento para eventos esportivos, culturais, lazer e religiosos.


Qual será o resultado dessa proibição?

Os 50 e poucos mil ex-usuários de fretados utilizarão o "excelente" transporte público?

Quantos carros serão adicionados diariamente ao trânsito?

"O Palácio dos Bandeirantes, sede do governo estadual, fica no Morumbi (zona oeste), fora da área de restrição, mas 6 dos 12 ônibus alugados para o transporte de 400 funcionários passam pela região de circulação limitada." Folha Online

"O hospital Albert Einstein, no Morumbi, o banco Real e a Braskem, ambos na marginal Pinheiros, confirmaram à Folha que contratam serviços de fretamento para o transporte de seus funcionários. " Folha Online


"O hospital Santa Catarina, na avenida Paulista, portanto localizado dentro da área de restrição, informou que não contrata o serviço, mas que parte de seus funcionários usa o sistema por conta própria -custa, em média, R$ 245 por mês por passageiro. " Folha Online

"Os ônibus das empresas aéreas que transportam passageiros entre os aeroportos de Cumbica, em Guarulhos, e Congonhas (zona sul) também se enquadram nas restrições anunciadas pelo governo." Folha Online

"Segundo o Transfretur (sindicato das empresas de fretamento), 30% das empresas com mais de cem funcionários contratam ônibus para o transporte de funcionários. " Folha Online

"O Transfretur informou que pode ir à Justiça contra as regras anunciadas pela prefeitura em relação aos ônibus fretados. Para a assessora jurídica da entidade, Regina Rocha de Souza Pinto, a medida fere o Plano Diretor, que estabelece prioridade para o transporte coletivo na cidade. O sindicato, no entanto, terá de aguardar a publicação da portaria com as novas regras, o que não tem prazo para ocorrer. A entidade também não descarta fazer manifestações na cidade. " - Folha Online




Um comentário:

Fatima disse...

Vc já voltou Edu?
Bjs.

Blog Widget by LinkWithin