Pages

domingo, agosto 16, 2009

Barnei e eu


Esse aí em cima é o Barnei, meu filho, meu cão e meu fiel amigo.

É um bebê de quase 15 anos, filhote da mistura das raças Fila e Weimaraner. Porte de fila e atitudes de Weimaraner.

O rapaz ficou velhinho e para mantermos ele com saúde, já que sofre de artrite e artrose, tratamos ele como um filho, quase de verdade.

Muitas foram as aventuras com ele. Adoro estar com ele, adoro o seu olhar meigo, retribuindo com o seu amor, nossos mimos a ele.

Normalmente, aos finais de semana escapo aqui de Sampa e fujo para meu refúgio nos céus: o voo livre.

Gosto muito de voar. Gosto porque me desconecto da materialidade e tenho momentos meus e com Deus. Estar lá, solto no ar, preso por "cordinhas", "ouvindo" o som do silênco é demais. Não troco isso por quase nada na vida.

(meu voo na Pedra Grande - Atibaia - SP)



Mas, o Barnei sim, ele me faz trocar alguma coisa para estar com ele, principalmente nesses momentos que a sua saúde é abalada pela idosa idade canina.

No meio da semana passada, ele sofreu outra crise neurológica e torna-se um cão tetraplégico temporário. Um trabalhão. Imaginem ter que movimentar um cão de mais de 60 Kg que está imóvel. Ele é obrigado fazer suas necessidades fisiológicas onde estiver. E aí, vem a dedicação e o amor que temos por ele.

Estou com as minhas costas "moídas", os braços pesados de tanto esforço.

Sábado e domingo foram idênticos. Banhos e limpeza. Comida e água quase na boca. E meu filho somente olha-nos com o seu olhar lindo, meigo e cheio de ternura.

Talvez tenhamos que adquirir aquelas "cadeiras de rodas" para cães, só para ele ter alguma movimentação, evitando que ele sofra mais.

Enquanto escrevo este post, ele está aqui ao meu lado, olhando pra mim só para conferir se eu não sairei de perto dele.

A vida para ele se esvai, sei que ele partirá em breve. Mas, vou preferir estar com ele até o seu último suspiro.

(Barnei e eu, numa gostosa rede)

7 comentários:

Fatima disse...

Que coisa linda Edu!
Sabe,
minha sogra tb tem uma cachorrinha a Aguíla(mistura de fila com boxer) que passa por esse processo de envelhecimento e está com tumores no útero.
Quando a gente chega lá em BH e ela não vem receber a gente no portão como antigamente é tão triste.
Bjs amigo e uma ótima semana para vc.

Beth disse...

Que lindo ...
Que declaração de amor ao Barnei. Ele merece!
Tenho muito a aprender com os esses seres incríveis.Tenho um comportamento avesso, cobro e exijo demais de mim e dos outros.Tento melhorar, mas está difícil.
Curta sim todos os momentos que puder ... são esses momentos de convívio com o próximo que levará e valerá para a sua vida.
Bjo grande.

Aprendiz disse...

Eu agora não tenho cão, mas percebo bem o que queres dizer. Eles vivem pouco, mas nós também.
Abraço

Cris disse...

Vi o filme e amei
Teu post é muito comovente
O meu cachorro o Luke ainda é filhote, mas ja aprendeu um truques no futuro vai ser meu companheirão, os cães sempre são.
bjão

Elaine disse...

Edu,
Passei para retribuir sua visita tão gentil e caí no choro olhando seu Barnei...Fico pensando em como ficará eu coração quando ele se for...Mas não é uma bênção tê-lo tido como amigo e ter sido para ele um amigo? Quantas pessoas podem dizer isso de alguém?
Mas espero sinceramente que ele fique ainda mais velhinho, que viva muito mais.
Beijos e fiquem com Deus.

Cecília disse...

Olá, Edu
Sou a Cecília, da Edelman, agência de comunicação da Jorge Zahar Editor. Acho que cheguei no seu blog por meio de algum outro, mas fiquei bastante comovida com o seu post.
Os cachorros mais idosos merecem tantos cuidados quanto as pessoas mais velhas, e se comportam da mesma maneira, inclusive. Por isso, todo carinho nesta hora é de extrema importância, porque está chegando a hora do melhor amigo da família.
Parabéns pelo relato.
Abraço e espero passar por aqui mais vezes.

Cler .**.**.**.**.** disse...

Sem palavras...emocionante!

Blog Widget by LinkWithin